Pesquisar no blog

Produtividade na empresa: como explorar este fator competitivo

Produtividade na empresa: como explorar este fator competitivo

A preocupação com a produtividade na empresa já não é nenhuma novidade. Hoje, a maior parte das organizações já sabe que com equipes improdutivas dificilmente atingirá resultados para se destacar no mercado.

Porém, muito além do básico “é preciso investir em produtividade na empresa”, o que você e sua área têm feito na hora de criar práticas, instituir políticas e motivar colaboradores? Será que sua organização realmente explora esse fator competitivo?

Se você ainda não sabe responder a essas questões, vale a pena conferir este artigo. Produtividade na prática? Veja como explorar essa oportunidade de se destacar no mercado!

Produtividade na empresa como um fator competitivo

Durante um bom tempo, o setor de RH e os gestores das áreas apostavam na retenção de talentos como principal estratégia para a gestão de pessoas. Nada mais óbvio, já que uma alta taxa de rotatividade traz impactos negativos tanto para o financeiro, quanto para o ambiente empresarial.

Entre os efeitos de um alto turn over, está a perda de conhecimento coletivo, que leva a um vale na curva de aprendizado organizacional. Algo difícil de ser recuperado em um curto espaço de tempo.

Porém, mais do que reter talentos, hoje os negócios vêm notando que de nada adianta atrair e manter o funcionário se ele não é produtivo e não responde de forma adequada às expectativas. A produtividade se transformou em uma questão prioritária, uma vez que é por meio dela que muitas empresas vêm conquistando o mercado e obtendo mais e mais resultados.

Dentro de um cenário competitivo, tempo e dinheiro são recursos que não podem ser desperdiçados. Assim, se antes a retenção de talentos servia para segurar os gastos com as altas taxas de rotatividade, investir em produtividade significa otimizar o tempo e gerar mais resultados para um negócio durante o período em que cada colaborar permanece ativo no quadro funcional.

Medir a produtividade: isso é possível?

Muitos gestores acreditam que, para aumentar a produtividade na empresa, basta instituir metas e apostar nos discursos motivacionais. Porém, essa “receita de bolo” já se mostrou não ser o suficiente há muito tempo.

Mais do que criar metas, é preciso que elas sejam inteligentes. No âmbito de gestão empresarial, tem se falado muito nas metas SMART. Smart, do inglês, além de significar inteligente, é um acrônimo que traduz o conceito de: S (específico), M (mensurável), A (atingível), R (relevante) e T (temporal).

Dentro deste conceito, metas que não possuem as características acima acabam por não gerar resultados reais e, consequentemente, não podem ser usadas como parâmetro para medir a produtividade na empresa.

Por isso, mais do que criar metas, é preciso que elas contem com determinados atributos que possibilitem aos colaboradores gerar resultados e também aos seus gestores avaliar e medir seus impactos.

Fatores que tornam sua equipe mais produtiva

Na hora de apostar em produtividade na empresa, é importante ter a mente aberta para novas práticas e testar no dia a dia aquelas que mais trazem resultados. Receitas prontas quase nunca funcionam, já que cada empresa conta com uma realidade peculiar e, no fim das contas, grupos de pessoas podem se comportar de forma bastante diversa.

Por isso, listamos abaixo, alguns pontos importantes a considerar quando o assunto é produtividade na empresa. Explore-os na hora de pensar como estruturar políticas e ações que estimulem o aumento da performance no trabalho!

produtividade na empresa

1. Crie incentivos econômicos para todos os colaboradores

Na maioria dos negócios, existe a política de criar incentivos econômicos apenas para funcionários do alto escalão ou da equipe comercial. No entanto, engajar todos os colaboradores dentro de uma política de incentivos pode ser uma excelente maneira de melhorar a produtividade na empresa e atingir melhores resultados.

O segredo para que isso aconteça, no entanto, é estabelecer uma mecânica bem estruturada de incentivos, deixando claro aos colaboradores quais são as condutas e os resultados esperados para uma eventual bonificação ou promoção.

2. Relaxe com as redes sociais

Muitos acreditam que as redes sociais são as verdadeiras vilãs da produtividade na empresa. Essa percepção, porém, não é totalmente verdadeira. Primeiro, porque as redes possuem um papel importante na hora de disseminar informação e conteúdo – o que também pode melhorar a execução do trabalho.

Segundo, porque ainda que as empresas proíbam seu uso, nada impede que os funcionários se conectem às redes por meio de smartphones e gadgets pessoais.

Mais do que proibir o acesso tentando evitar seu potencial de distração, as empresas devem encarar o lado positivo e negativo das mídias sociais, trabalhando internamente para que os efeitos contraproducentes não impactem a empresa.

Em outras palavras, é melhor criar políticas internas que façam com que as redes sociais deixem de ser um motivo de procrastinação, do que simplesmente proibi-las ou evitá-las.

Cabe lembrar, também, que a experiência social pode ser levada de forma estruturada para o meio corporativo, com o uso de redes sociais para diferentes tipos de interação entre os colaboradores.

3. Incentive o descanso

Não existe indivíduo produtivo sem uma boa dose de descanso. Porém, muitas empresas acabam ignorando esse fator, marcando compromissos em finais de semana e até permitindo que funcionários trabalhem muito além do expediente.

Fazer com que sua equipe recupere as energias é o primeiro passo para que ela produza em alta performance, por este motivo, o descanso deve ser absorvido pela cultura da empresa e estimulado por gestores. Se a sua empresa ainda não faz isso, vale a pena investir em políticas de horários fixos e determinar que os finais de semana sejam sempre livres.

Isso não significa que as tarefas não serão entregues, mas sim que o colaborador terá ainda mais motivos para realizá-las dentro do horário fixado para o trabalho, evitando distrações e buscando formas de tornar-se mais produtivo.

4. Elimine a burocracia interna

Toda empresa precisa de procedimentos internos para se desenvolver. No entanto, quando esses processos contam com pouca funcionalidade e eficiência, a empresa acaba sofrendo com todas as consequências negativas da burocracia.

Processos simples, como manter uma política de reembolso para despesas, podem trazer gastos acima do ideal e um significativo desperdício de tempo dos colaboradores. Combater esse tipo de prática, além de impactos positivos no fluxo financeiro, acaba gerando resultados excelentes em termos de produtividade, já que se perde menos tempo nas atividades que não são parte do core business do negócio.

5. Encontre as melhores ferramentas

A tecnologia pode até nos ajudar a procrastinar, seja nas redes sociais, seja pela possibilidade de estar conectado ao mundo a partir da tela do computador. Mas a verdade é que ela muito mais contribui do que atrapalha, especialmente para as empresas que estão de olho em novas soluções digitais.

Além dos tradicionais sistemas de gestão, existem ferramentas para simplificar os mais diversos processos que fazem parte da administração de uma empresa. Atendimento ao cliente, controle de tarefas, contagem do tempo de trabalho, comunicação entre colaboradores, gestão financeira, desenvolvimento de projetos compartilhados…

Experimente pensar em um gargalo de produtividade em sua empresa e depois vá para o Google ou para grupos profissionais perguntar se existe alguma solução para resolvê-lo. Você sairá com pelo menos algumas respostas para seus desafios!

Qual o seu papel na produtividade da empresa?

Pensar em produtividade na empresa com certeza é seu papel, independentemente se for colaborador, gestor ou até mesmo o proprietário da empresa. Melhorar a performance de um negócio possibilita que ele seja competitivo no mercado, use da melhor forma seus recursos e se mantenha como uma estrutura sólida por mais tempo.

Ao mesmo tempo, vale lembrar que não há mais espaço nas organizações para profissionais que não contribuam para a melhoria dos processos e da administração. Aquele funcionário que apenas se preocupa em bater o ponto e em cumprir sua carga horária está com os dias contados.

Participar da gestão e, mais do que isso, agir e pensar como dono são características indispensáveis para os profissionais do século 21, principalmente em um mercado no qual os jovens da Geração Z, com comportamento essencialmente empreendedor, começam a participar de forma mais ativa.

Por isso, seja qual for sua função dentro da organização, comece a olhar de outra forma para cada atividade que faz e para cada demanda pela qual é responsável. Pode ser que encontre bons caminhos para simplificar a entrega de resultados e ser ainda mais eficiente!

Está buscando por novos caminhos para aumentar a produtividade na empresa? Então, que tal começar pelos sistemas de gestão de transporte corporativo? Conheça aqui o EasyCorporate e saiba mais!

Compartilhar:

Alexandre Murat

Administrador, com experiência em planejamento estratégico, vendas, gestão de equipes de alta performance e projetos de otimização de processos. É Diretor Comercial e responsável pelo EasyCorporate, a solução para empresas da Easy.

Deixar Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar resposta
RECEBA DICAS DO EASYCORPORATE
PARA FACILITAR SEU TRABALHO
Receba dicas do
EasyCorporate para
facilitar o seu trabalho.
Obrigado por se inscrever em nossas newsletters
Obrigado por se inscrever em nossas newsletters